Porque a Apple não dominou o mercado de Desktops?

A Apple é uma empresa que tem tudo para conquistar fatias maior do mercado, por possuir um sistema Operacional muito bonito e eficiente, e muitas vezes nos perguntamos porque a Apple não dominou ou domina o mercado de computadores? Pois para muitos o sistema dela é superior ao Windows, mas o Windows continua sendo a grande maioria do mercado de desktops, mas porque a Apple não muda isso?

Apesar de ser uma empresa com um sistema Operacional muito bonito, e atrair o desejo de muitos em ter suas máquinas, A Apple possui preços bem altos, e o não licenciamento de seu sistema para outras empresas, seguram tal crescimento. Pois ter uma Mac ainda é bastante caro no Brasil por exemplo, e não são muitos que se arriscam a adquirir um Mac mais antigo, por não conhecer tanto o sistema, e não saber o quanto ele pode lhe tornar mais produtivo.

Essa politica da Apple tem haver como retorno do Steve Jobs em 1996, quando a empresa estava quase falindo, possuindo diversos modelos de computadores. E outras empresas também vendiam maquinas com seu sistema. A empresa produzia impressoras, câmeras digitais entre outros itens, que geravam pouco lucro. Steve resolveu, parar a produção de diversos produtos, e simplificar a linha de produção, criando poucos produtos, porém com auto nível de qualidade. Existiam muitos modelos do Macintosh, e as maquinas segundo Steve Jobs estavam uma porcaria, não saindo como deveriam, o que estava levando a desvalorização das Ações da Apple, anos antes chegaram a lançar um Macintosh XL que na verdade se tratava do LISA com o um programa que o deixava com a interface igual do Macintosh (uma gambiarra pois os sistemas do Lisa e o Macintosh não eram compatíveis entre si), apenas para zerar os estoques do Lisa, que estavam com pouca saída.

A partir de 1994 a Apple resolveu licenciar o seu sistema para outras empresas, a Power Compunting e Radius e quando Gil Amelio assumiu em 1996, acrescentou a Motorola na lista. Ela recebia U$ 80 dólares por cada computador vendido, mas tal estratégia, ao invés de servir para ampliar o mercado da empresa, serviu para canibalizar as vendas dos computadores Macintosh de alta qualidade da Apple, que lhe davam até U$ 500,00 dólares de lucro por máquina. Uma das primeiras coisas coisas que Steve Jobs fez ao retirar Gil Amélio do controle da Apple e assumir, foi cortar os clones dos Macs. E quanto mais tarde Steve Jobs disse o seguinte:

“A coisa mais idiota do mundo foi permitir que outras empresas que fabricam computadores de péssima qualidade usem nosso sistema operacional e reduzam nossas vendas”

Essa frase está ligada também ao controle de ponta a ponta que Steve Jobs acreditava, na harmonia entre a empresa que produz o software e o hardware, criando uma integração perfeita para o usuário. Um Mac vai tirar o máximo de seu hardware estando com um sistema da Apple instalado, mas se você optar por colocar uma distribuição Linux ou Windows no mesmo, ele não vai fluir com a mesma potência, pois o sistema da empresa foi feito, para dar asas ao seu Hardware, seja nos Macs, nos iPhones e nos iPads. E quanto a isso, temos a máxima das fotos do iPhone, não importam quantos mega pixels e sensores os aparelhos com Android coloquem, as fotos dos iPhones, são incrivelmente melhores, isso se da pelo casamento entre hardware e software levados a sério pela companhia.

Durante uma reunião de estratégia de produtos Steve Jobs ficou sem paciência e gritou “basta, isso é maluquice!”, foi até o quadro branco e risco linhas horizontais e verticais, Air e Pro (Consumidor e Profissional), Desktop e portátil, desenvolvendo nesse momento 4 novos conceitos para seus produtos, buscando simplificar a produção e melhorar a qualidade dos mesmos. Nesse momento exigiu de sua equipe a criação de 4 grandes produtos, Power Macintosh G3 (Pró Desktop), Powerbook G3 (Pró Portátil), iBook (portátil consumidor), e para o consumidor trabalhariam em algo que seria o iMac no futuro.

Hoje em dia a empresa possui as linhas MacBook Pro e MacBook Air para os portáteis, iMac, Mac Pro e Mac mini para Desktops, que a foram a evolução dos primeiros produtos criados após o retorno de Steve Jobs com seu sistema trazido da NeXT, baseado do Mach e no BSD e em parceria com Jony Ive na parte dos designs, para construir produtos fantásticos.

A Apple Prima pela qualidade desde o design ao Hardware, além da integração entre a maquina e o sistema que acabou se tornando um ponto forte da companhia. Preferindo portanto ter menos máquinas com seu sistema Operacional no mercado, contudo sobrepujando na qualidade do software e da construção das mesmas, podendo vender a um preço maior, e mesmo assim ter uma grande fatia de lucro do mercado de computadores. Portanto eis o motivo da Apple não dominar o mercado com o seu sistema Operacional. Para ela se tornou mais lucrativo, ter uma fatia menor mas vendendo no preço que lhe aprouver, e é claro que nos dias atuais as receitas com os iPhones chegam a ser o maior percentual da empresa, limitando a de Macs a 15%, e com esses preços altos praticados não é atoa que se tornou a empresa mais valiosa do mundo, e quando perde o posto, fica apenas alguns meses em segundo ou terceiro lugar, logo retomando sua posição de liderança.

Fontes: Computerworld, Bibliografia de Steve Jobs por Walter Isaacson páginas 352 e 354

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s