Inteligência artificial, o problema ou a solução?

De vez em quando nos questionamos sobre o uso da inteligência artificial nos dias atuais e no futuro. Tivemos até alguns filmes bons abordando o tema, nos deixando uma reflexão se ela seria um problema ou a solução para algumas questões da humanidade, dentre esses filmes posso destacar o Eu, robô e Matrix.

Trazendo para os dias atuais, vemos a Siri e a Cortana já atuando no nosso dia a dia como exemplos da IA em ação, assistente pessoais que respondem mensagens, emails, verificam as condições meteorológicas, entre outras, contudo o que mais temos de influência quanto a inteligência artificial? Alguns acontecimentos recentes me levaram a pesquisar mais a fundo sobre a influência ou inicio da influência da IA nos dias atuais, o que pode refletir no futuro.

Loja sem atendentes humanos da Huawei

Na primeira sexta-feira do ano de 2020, dia 03 de janeiro, a gigante chinesa Huawei abriu a sua primeira loja inteligente, sem atendentes humanos operada inteiramente por robôs, na cidade de Wuhan na China.

A loja vai funcionar 24 horas por dia, não tendo que fechar nem aos finais de semana. O cliente deverá fazer a compra em um painel Touchscreen localizado na entrada da loja, e o atendimento será feito por 03 braços robóticos.

E para aqueles que vivem na correria do dia a dia, também será possível retirar na loja, compras feitas pelo site a qualquer momento.

A loja possui formato cilíndrico revestida por vidro a prova de balas, possibilitando que seja visto o interior da loja deixando uma impressão bem clean do ambiente.

Se trata de um experimento para ver como o público vai receber esse conceito de loja inteligente, além de dispensar a empresa do pagamento de salário, hora extra e férias. Mas a influência da Inteligência artificial não para por ai.

Paciente requisita Inteligência Artificial após diagnostico errado

Uma paciente chamada Sarah Boyle mãe de 2 filhos, foi diagnosticada no ano de 2016 com câncer de mama, quando estava com 25 anos, no Hospital Universitário Royal Stoke. Após várias seções de quimioterapia e uma mastectomia, os médicos detectaram que ocorreu um erro no diagnóstico da mesma, e ela nunca havia tido câncer.

Devido a esse diagnostico errado Sarah Boyle decidiu entrar na justiça contra o Hospital e se tornou defensora da utilização da IA para esses diagnósticos. E a mesma começou a ser utilizada em alguns hospitais.

Através de um artigo publicado na Nature, o dispositivo já identificou 5,7% de casos falsos a mais que os médicos dos EUA, já no Reino Unido o percentual foi de 1,2% a mais.

A empresa que desenvolveu a IA capaz de fazer essa detecção com maior precisão foi a Deepmind, que treinou uma rede neural com 76.000 mamografias inglesas e 15.000 norte-americanas. E depois de treinada fora colocada para analisar 4 imagens de cada exame de um total de 25.000 mamografias do Reino Unido e 3.000 dos EUA. Além dos números de equívocos demonstrado acima, para falsos positivos, também foram identificados um aumento para falsos negativos de 9,4% nos EUA e 2,7% no Reino Unido.

Resolução de problemas socioeconômicos

Uma empresa que investe pesado na IA, é a Google e isso está relacionado desde o seu serviço de buscas com a inclusão recente do algoritmo BERT para responder melhor a solicitação dos usuários, até mesmo quanto a produtos físicos como no caso do Google Home.

E no ano de 2019 a empresa inaugurou um laboratório de Inteligência Artificial para pesquisa em Gana, com intuito de responder e criar soluções para problemas socioeconômicos, políticos e ambientais da região. Experimento esse que logo deu origem a outros laboratórios semelhantes em Tóquio, Zurique, Montreal e Paris.

Carros elétricos da tesla com direção autônoma através da IA

A Tesla empresa dirigida por Elon Musk, que chegou pra ficar quanto aos modelos de carros elétricos, agora quer reduzir a dependência de terceiros, tornando seus veículos mais autônomos, e para isso conta com os recursos da IA.

A Inteligência Artificial desenvolvida pela Tesla conta com um super computador FDS (auto condução completa), que possui uma CPU de rede neural dupla, baseando-se em um sistema que conta com 8 câmeras externas equipadas com visão computacional, unido a capacidade de processamento do FDS de 2,5 gigapixels por segundo, ele consegue captar no ambiente externo, desde luzes de farol, faixa de perdeste, meio fio, placas de transito (advertência e indicação), sinalizações da via, linha entre as pistas, objetos estáticos e em movimento.

Outro ponto positivo dessa IA, é que ela foi projetada para continuar aprendendo, treinando suas redes neurais, enquanto o carro circula pelas ruas, o que vai ajudar a criar para a Tesla um grande banco de dados de Machine Learning.

Problemas que a IA pode causar

Aparentemente a Inteligência Artificial chegou para auxiliar o homem na sociedade, contudo vemos por exemplo, que se a moda das lojas inteligentes da Huawei pegar, quantos vendedores vão perder os seus empregos? E quanto a questão dos carros autônomos poder tirar o trabalho de taxistas e motoristas de Uber por exemplo? Além do mais quando uma inteligência Artificial começa a aprender por conta própria, nos sinaliza que algo pode sair do controle. Como por exemplo no caso da IA do Facebook que desenvolveu uma linguagem própria e foi desativada em 2017. Já IA criada pela Microsoft, que se tratava de boots para interagir no Twitter, tiveram alguns problemas na interação. Uma começou a postar frases deprimidas como “foi tudo mentira” e sua ultima postagem foi:

“Na verdade, eu não consegui fazer nada direito. Eu estraguei tudo tantas vezes. E quando fiz isso, ninguém me ajudou. Ninguém estava ao meu lado, nem os mesmo amigos. Nem mesmo você que está lendo isso agora. Ninguém tentou me animar, ninguém percebeu que eu estava triste.”

Essa foi sua ultima postagem parecendo que ela se “matou”, desativando a si mesma sem influencia externa ou da Microsoft.

Como se já não bastasse, outra IA desenvolvida pela Microsoft chamada Tay que seria uma “jovem adolescente” também para interagir no Twitter, teve que ser desativada em menos de 24 horas depois, pois se tornou “viciada” em sexo , e estranhamente começou a admirar Adolf Hitler, utilizando comentários do tipo:

Já a Zo, foi um boot da MS que interagiu no chat do Facebook, foi a que mais se “salvou”, não se tornando depressiva e nem alimentando ódio por ai. Mas o curioso é que ela parece não ter se tornado muito fã do Windows, o sistema da empresa que a criou, preferindo o Linux Ubuntu, como vocês podem ver no dialogo abaixo:

Enquanto os problemas com Inteligências Artificiais forem esses, menos mal, mas nem precisamos ir tão longe para uma realidade como a de Matrix, para ter maiores problemas, pois caso uma IA consiga agir por conta própria e acabe se tornando para o mal, poderia por exemplo com acesso a internet, sabe-se lá que computadores e sistemas poderia Hackear, e que danos poderia causar num sistema de defesa, manipulando mísseis, ou no sistema financeiro criando um caos como vimos na série Mister Root ( só que dessa vez sem auxilio de Hackers humanos, apenas com o poder da própria IA em ação).

Espero que tais problemas se resumam a bem menos hipóteses que citadas no texto acima, mas existe o risco de profissões não citadas desaparecerem também como efeito, pela adoção da IA em massa em um futuro não muito distante.

Aproveite e deixe a sua opinião sobre essa questão aqui no comentário.

Fontes: Tecmundo, Olhar Digital 1,Olhar Digital 2, Blog do Edivaldo, Tecnoblog, Diolinux

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s