Coreia do Sul pretende substituir o Windows 7 por uma distribuição Linux

Coreia do Sul pretende adotar Linux no lugar do Windows 7

Com o fim do suporte ao Windows 7, a Coreia do Sul começou a cogitar migrar os computadores do governo para um sistema Linux, isso porque, após o termino do suporte “gratuito” da Microsoft ao mesmo (pois você já paga pela licença do mesmo, o que inclui o direito a suporte durante um período de tempo), eles teriam que pagar se quisessem manter o suporte, ou até mesmo migrar para o Windows 10.

Segundo o Ministério do Interior e da Segurança da Coreia, tanto manter o suporte pago ao Windows 7 como a migração para o Windows 10, custariam valores bem altos, inclusive maiores do que os cerca de U$ 780 bilhões para migração das máquinas que possuem o Windows e compra de novos computadores para utilizar com a distribuição Linux que for escolhida.

Coreia do Sul e o Linux

Para o chefe do escritório de serviços digitais do ministério, Choi Jang-hyuk, será mais econômico migrar para Linux do que manter o sistema da Microsoft em operação. Mas antes ocorreram testes para verificar quanto a segurança do mesmo na utilização em rede privada, além da verificação quanto a compatibilidade dos sites e programas feitos para rodar no Windows.

Esse ponto, quanto a verificação dos programas pode ser um problema, pois talvez seja necessário solicitar ao fornecedor de algum software importante que os mesmos disponibilizem uma versão do programa para Linux. Mas para isso eles têm que escolher qual distribuição Linux será adotada, para ver se o mesmo será portado para um formato deb, rpm, ou se para um formato que seja independente da distribuição escolhida, como os snaps e os flatpacks. Além do mais será necessário que a empresa dos tais softwares esteja disposta a cooperar com a migração, caso contrário, os sul-coreanos terão que procurar um programa que exista para Linux, que tenha as mesmas funções dos programas que precisam mas não existem na plataforma, o que pode causar problemas, sendo necessário treinamento, e todo um procedimento para que os funcionários do governo se adequem com as novas soluções apresentadas.

Caso de Munique

Não podemos esquecer que a alguns anos atrás a cidade de Munique passou por uma migração para uma distribuição Linux, caso que levou até o então CEO da Microsoft, Steve Ballmer a voar para a cidade alemã durante suas férias, para tentar impedir a perda do cliente, o que poderia se tornar um exemplo para outras cidades europeias. Isso ocorreu em 2003, mas devido a incompatibilidade com envio e recebimento de arquivos para outras cidades e órgãos fora de Munique, além da frustração de uma boa parte dos funcionários em se adaptar ao LiMux, um sistema mantido em parceira da SUSE, para com a cidade alemã, a cidade acabou por votar em 2018 o retorno para o Windows, mesmo tendo economizado alguns milhões de dólares com a adoção do software livre.

Quanto a esse assunto, fiz uma matéria em outro blog, na qual você pode conferir no link abaixo junto com o de outra cidade que também migrou para Linux:

PREFEITURA DE MUNIQUE USA LINUX DESDE 2003.

CIDADE ALEMÃ GUMMERSBACH MIGRA PARA LINUX

E também temos 2 vídeos, um a respeito da cidade de Munique quanto a sua adoção por Linux, e quanto a outra cidade de Barcelona.

Acha que o fim do suporte ao Windows 7 pode levar mais órgãos públicos a migrarem para o Linux? Deixe aqui a sua opinião.

Fontes: Tecmundo, slashgear

Um comentário

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s